Estarreja duplamente representada na exposição sobre Jornais Centenários do Brasil e Portugal

Terça, 20 de Setembro 2022


Os jornais locais “O Concelho de Estarreja” (fundado a 10 de outubro de 1901) e “O Jornal de Estarreja” (fundado a 12 de abril de 1883) integram a exposição "Jornais Centenários do Brasil e Portugal - Um Legado Cultural", que decorre no Paço dos Henriques, em Alcáçovas, no concelho de Viana do Alentejo. Estes dois títulos de Estarreja fazem parte das 57 publicações dos dois países com mais de 100 anos de vida.

Integrada na Semana Cultural de Alcáçovas, a exposição que abriu portas no dia 11 de setembro, é promovida pela Associação Portuguesa de Imprensa, a Associação da Imprensa de Pernambuco, e a Câmara Municipal de Viana do Alentejo, juntamente com a Freguesia de Alcáçovas. 

É a primeira vez que é mostrada, em Portugal, esta exposição luso-brasileira que está patente no Brasil desde 2019, agrupando agora 57 publicações centenárias, publicadas ininterruptamente, numa demonstração do papel da imprensa como legado cultural. 

A coleção, que reporta a 1825, testemunha a história do jornalismo, da imprensa e da língua portuguesa, bem como a evolução cruzada dos dois países no contexto da formação política, ideológica, social, económica, cultural e científica do mundo até aos dias de hoje. 

Esta exposição é enriquecida pela participação de Mestre António Homem Cardoso com retratos de personalidades portuguesas e brasileiras ligadas ao mundo da imprensa, destacando-se José Saramago e Maria de Lurdes Pintasilgo, por este ano se assinalar o centenário do seu nascimento. 

A exposição, com curadoria de João Palmeiro e Múcio Aguiar Neto, vai estar patente ao público até abril do próximo ano.

Esta é a primeira atividade do Observatório dos Jornais Centenários que, com o interesse do Google Arts & Culture, passa a organizar eventos e estudos de investigação académica sobre a imprensa centenária. Enquanto candidata ao programa Memória do Mundo da UNESCO, esta mostra é uma chamada de atenção para o risco do deserto de notícias e a necessidade de preservar a floresta de memórias, que são os Jornais Centenários de Portugal e do Brasil.