Descarga com origem em Oliveira de Azeméis provoca mortandade no Rio Antuã

Sábado, 26 de Setembro 2020


Na manhã da última sexta-feira, segundo nota do Município de Oliveira de Azeméis, uma unidade fabril deste concelho alertou as autoridades para o derramamento de leite no Rio Ul.
 
Sendo o Rio Ul um afluente do Rio Antuã, infelizmente, não tardou a expandir esta contaminação às águas que atravessam a cidade de Estarreja. Ao final da tarde de hoje foi possível verificar o impacte ambiental desta descarga, afetando gravemente a fauna que aqui habita, havendo já centenas de peixes mortos num cenário desolador.
 
De imediato foi feita a colheita de amostra da água contaminada pelas Águas do Vouga, concessionária do sistema regional do Carvoeiro (Associação de Municípios do Carvoeiro-Vouga), para que seja feita a análise da substância que terá originado a contaminação das águas do Rio Antuã.
 
O Município de Estarreja já comunicou a ocorrência às autoridades, nomeadamente ao SEPNA (Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente) da GNR e à APA – Agência Portuguesa do Ambiente, manifestando a sua preocupação pela gravidade da situação.
 
Há já alguns meses, a Câmara Municipal de Estarreja comunicou ao Ministério do Ambiente a sua preocupação com a qualidade da água que chega ao Rio Antuã, estando o problema a montante do Concelho de Estarreja. 

A Câmara Municipal de Estarreja lamenta profundamente este episódio, inadmissível em pleno Século XXI. A autarquia está atenta, a acompanhar o evoluir da situação, com especialistas no terreno e aguarda os resultados da análise à água, para perceber as reais consequências desta descarga, e pedir responsabilidades, a quem de direito, pela grave mortandade na fauna do Rio Antuã, que poderá demorar anos a voltar a ser o que era.