Diamantino Sabina protesta contra possível encerramento do Balcão CGD de Avanca

Segunda, 11 de Junho 2018


Avanca pode estar na mira da vaga de encerramentos de balcões da Caixa Geral de Depósitos (CGD). A hipótese caiu que nem uma bomba junto do Presidente da Câmara Municipal de Estarreja, Diamantino Sabina, que pede explicações à CGD.

Informado, de forma informal na última sexta-feira, sobre o fecho da agência da CGD Vila de Avanca, Diamantino Sabina pede esclarecimentos a Paulo Macedo, Presidente da Comissão Executiva da Caixa Geral de Depósitos, S.A. e Vice-Presidente do Conselho de Administração da Caixa Geral de Depósitos, S.A., manifestando o seu “espanto e consternação” pela medida anunciada que vem prejudicar a população de Avanca.

Numa carta enviada ao responsável da CGD, o autarca manifesta a sua indignação e questiona: “Onde estão as Vossas políticas de proximidade? De procurar ir ao encontro das pessoas? Parece-vos uma interessante medida comercial? O tempo da austeridade não é passado? Quais os critérios que levaram a tomar esta medida? Porquê Avanca?”.

Diamantino Sabina espera ouvir da boca de Paulo Macedo a resposta a estas e outras questões e por isso pede o agendamento de uma reunião “no mais curto prazo de tempo possível, para que lhe possamos, pessoalmente, dar conta do motivo desta nossa consternação”.

“Queremos que esse balcão se mantenha! A população de Avanca, de quase sete mil, precisa que esse balcão se mantenha! Eu, como representante máximo deste povo, reivindico-o! Exijo-o!”

O protesto para denunciar e impedir o encerramento do balcão vai mais longe e o autarca ameaça com o fim do relacionamento comercial da Câmara Municipal de Estarreja com o banco, transferindo todas as operações para outras entidades bancárias.

“Vincarei firmemente esta minha posição e ordenarei imediatamente a cessação de quaisquer relações comerciais entre a Câmara Municipal de Estarreja e a Caixa Geral de Depósitos! Aconselharei toda a população de Estarreja a fazer o mesmo!”, adverte.

Depois de ter fechado 64 no ano passado, de acordo com as notícias vindas a público, o banco estatal vai agora encerrar mais 75 agências até ao final deste mês, no âmbito do acordo de reestruturação estabelecido com a União Europeia em 2016.