Nome grande da música brasileira, Jaques Morelenbaum, atua em Estarreja na sexta-feira

É um dos mais aguardados concertos da temporada

Quinta, 20 de Abril 2017


Estarreja é uma das três cidades, além de Lisboa e Coimbra, que num concerto há muito aguardado se pode orgulhar de receber aqueles de quem Caetano Veloso disse: “Como pode algo tão grandioso caber no que parece tão pequeno?" Jaques Morelenbaum e o seu Cello Samba Trio atuam já na próxima sexta-feira, 21 de abril, pelas 21h30, no Cine-Teatro de Estarreja. 

Uma das figuras de proa da música popular brasileira, o instrumentista, violoncelista, produtor, compositor e maestro Jaques Morelenbaum disse, em declarações à Agência Lusa (ver notícia RTP), que, dos três espetáculos, vai “tratar com muito carinho [o de] Estarreja”, pois é a primeira vez que atua nesta cidade. “Não conheço Estarreja e trato sempre com um carinho especial o porto de abrigo onde a gente chega pela primeira vez”. É quase certo que o público de Estarreja o vai receber de braços abertos e com a mesma empatia, numa noite que se antecipa memorável.

Jaques Morelenbaum, no violoncelo, faz trio com Lula Galvão, no violão, e Márcio Dhiniz, na bateria, para apresentarem um espetáculo inspirado no seu trabalho “Saudade do Futuro, Futuro da Saudade”, onde a palavra ‘saudade’ reforça a visão do samba desde as suas raízes até aos dias de hoje.

Maioritariamente conhecido entre nós como compositor de temas interpretados por nomes como Adriana Calcanhoto, Zélia Duncan ou Paula Morelenbaum, sua mulher, Jaques Morelenbaum, o já vencedor de um Global Music Award, vem ao Cine-Teatro de Estarreja apresentar para além de composições originais, algumas ainda não gravadas como por exemplo o tema ‘Nesse trem que eu vou‘, temas intemporais de António Carlos Jobim, João Gilberto, Carlos Lyra, Caetano Veloso, Gilberto Gil, João Donato, Baden Powell, Egberto Gismonti e Jacob do Bandolim. 

Jaques Morelenbaum tem colaborado desde os anos 1990 com Ryuichi Sakamoto, com quem gravou, entre outros, o CD "Casa". Atuou e gravou com Cesária Évora, Madredeus, Rui Veloso, Mariza, Carminho, Gal Costa, Sting, David Byrne, Milton Nascimento, Henri Salvador, Omar Sosa, Bill Frisell, Hubert Laws, Kenny Barron, João Donato, Julieta Venegas e John Scofield, entre tantos outros. Um dos seus próximos projetos é a produção do novo álbum dos "Danças Ocultas".